top of page
  • Foto do escritorPr. Bertiê Magalhães

TABERNÁCULO: COMUNHÃO COM DEUS



Quem subirá ao monte do Senhor, ou quem estará no seu lugar santo? Aquele que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à vaidade, nem jura enganosamente. Este receberá a bênção do Senhor e a justiça do Deus da sua salvação.

Salmos 24:3-5


O tabernáculo representa a comunhão de Deus com o seu povo. Deus no meio de Israel, um lugar de sacrifício, de comunhão e de adoração. No Santo dos Santos, uma vez por ano o sumo sacerdote entrava com sangue de animais até o propiciatório, apresentando o povo ao Senhor e implorando o seu perdão nacional, de sorte que Deus atendia esta cerimônia que Ele mesmo instituiu, aproximar do homem, e o homem alcançasse a Deus pelo caminho da morte de animais inocentes.

O tabernáculo, hoje é o nosso corpo, o Santo dos Santos é o nosso coração, dando-nos o perdão de nossos pecados pelo derramamento de seu próprio sangue, uma única vez Jesus Cristo está literalmente à direita do Pai intercedendo por nós. Hb 11.12.

Assim como o santuário no meio de Israel indicava responsabilidade no cultivo espiritual, desde o levantar da manhã até o entardecer, nos dias hodiernos, nos mostra o caminho excelente, onde o templo, o lugar dedicado ao culto do Senhor, precisa estar em nossa prioridade, pois Deus está presente na Igreja Mt 16.18. Onde estiver dois ou três reunidos no meu NOME, estou no meio deles Mt. 18.20. Com Cristo em nosso coração, estamos esperando a qualquer momento, ao ressoar a trombeta de Deus, com nossas vestiduras embranquecidas no Sangue do cordeiro, vamos cantar: MARANATA! Ora vem Senhor Jesus, iremos morar no tabernáculo de Javé para todo sempre.


MEDITAÇÃO: Ap 3.11; 3.22; Salmo 24.



I - CONTEXTO HISTÓRICO.

Com a doação do decálogo e o livro do “concerto”, com todas as leis nele contidas, estava uma grande parte do trabalho de organização nacional feito, mas muito ainda restava para fazer. Muitas leis já tinham sido dadas e tinham sido ratificadas, mas de que serviriam as leis se não fossem praticadas? Perfeito funcionamento de toda a maravilhosa legislação mosaica dependia do estabelecimento do centro do culto, que seria o tabernáculo. Para a permanência e sustento da vida religiosa do povo, convinha o estabelecimento organização do ritual sobre as coisas santas, as pessoas santas, maneira de oferecer os sacrifícios, os incensos, quem devia oferecer todas estas coisas, o tempo e as condições. Por causa de sua objetividade, tudo isto teria maior valor que outras. As palavras escritas na lei, as quais eram um grande apelo a inteligência é certo, que, porém, não seria bem respondido, por causa da inculta espiritual do povo. preciso alguma coisa material que ensinasse as grandes verdades da lei escrita, e nada mais instrutivo, mais poderoso do que o elaborado culto do tabernáculo. Não somente isto, mas, assim como todos os povos tinham um lugar onde adoravam os seus deuses, o centro da vida nacional, também convinha houvesse em Israel um lugar eu atraísse todos os israelitas. Um lugar que não pertencesse ao norte ou ao sul do país, mais a todos. Por todo tempo que o tabernáculo esteve em serviço, foi o principal centro da vida nacional. Depois da construção do templo em Jerusalém, foi esta a cidade que tornou o atrativo por excelência de todo hebreu.


II - CONTEXTO TEOLÓGICO.

Os utensílios do tabernáculo

Estudo dos utensílios do tabernáculo é realmente fascinante. Eles consistiam de sete artigos cuidadosamente descritos, cuja natureza praticamente não nos permite duvidar de seu significado e tipológico, enquanto o seu número, como acontece em muitas outras ocorrências do número sete – transmite a idéia de perfeição.

Vamos agora entrar neste recinto sagrado através do átrio e reverentemente atravessar o tabernáculo, fazendo uma pausa diante de cada um desses objetos e notando a ordem em que ocorrem, vendo sobre o uteensílio e seus significados simbólico e tipológico.

  1. Bacia do altar dos holocaustos. Expiação mediante sacrifício. A expiação de Cristo. Bronze. Renovação espiritual. Regeneração e renovação pelo Espírito Santo

  2. Mesa dos pães da proposição

  3. sustento espiritual Cristo-Pão da vida, Espírito Santo água da vida.

  4. Candelabro. Iluminação espiritual.

  5. Cristo a luz do mundo.

  6. ltar do censo. Súplica aceitável.

  7. 0ração em Nome de Jesus Ap.5.8.

  8. Arca. Acesso mediante relação de aliança.

  9. Cristo como base da aliança de nosso acesso a Deus.

  10. Propiciatório. A presença e vida de Deus. Cristo como propiciatório, Rm 3.25, Espírito Santo Shekinah, como vida que emana de Deus. Que entrada triunfal, que passagem gloriosa pela dependência do tabernáculo, que saldo positivo, agora na conclusão da nossa caminhada pelo mesmo. Só podemos dizer: Aperfeiçoa-nos o Deus!


CONTEXTO DOUTRINÁRIO.

Ofertas de material e mão de obra para o tabernáculo. Venham todos os homens hábeis entre vós e façam tudo.

Todos aqueles cujo coração os movesse poderiam doar materiais para a construção do tabernáculo, v-5. Agora, porém, o convite ao trabalho é ainda mais amplo. Nem só Bezalael e o Oliabe podem participar: todos os homens hábeis podem participar na construção. As mulheres podiam fiar e tecer, os mais ricos traziam pedra preciosas e especiarias, todos tinham parte na construção do santuário de Javé, sem participação de todos a obra não poderia ser completada. Ef 4.16.

Voluntariamente – Só a oferta feita segundo o propósito do coração, com alegria e amor, agrada a Deus II Co 9.7; I Co 13.3. Este espírito de boa vontade é uma grande coluna do caráter, Sl 51.12, se o povo numa jornada no deserto tinha preciosidades para oferecer, terá que considerar que este povo teve um passado milagroso, Ex 3.22; 12;35,36. Uma virtude de boa vontade deve acompanhar todas as coisas que oferecemos a Deus, inclusive nossas próprias virtudes que dele provém.


CONTEÚDO APLICADO.

Preparando o tabernáculo para morada de Deus. Onde está o tabernáculo de Deus nesta dispensação da Graça? Está presente em cada crente individualmente que é a Igreja de Cristo em todo universo.

Assim como o tabernáculo, o cristão também começa toda sua formação a partir das ordenanças contida nos ensinamentos da palavra de Deus, gerados e transmitidos pelo Espírito Santo. Esse processo de formação começa na atitude voluntária do crente quando o mesmo oferece seu espírito, alma e corpo para o sacrifício e acrisolamento, para que Deus o aferidor das medidas celestiais dê a forma, a medida da largura, e altura e profundidade que encaixa corretamente em seus propósitos e desígnios. Deus é dono deste tabernáculo que somos nós, por direito adquirido. Cada oferta aqui analisada forma a diversidade doutrinária contida em toda Bíblia Sagrada, cujo objetivo é preparar, formar, organizar, ornamentar e dar o acabamento final do nosso tabernáculo.

Vejamos agora essa objetividade:


  1. Ouro – Obra do Espírito Santo confirmando a vida espiritual exaustiva na obra de Deus Ap. 3.18a;

  2. Prata – Vida resgatada por Deus, e pronta para toda a proteção no crisol Dele. PR 27.21; 25.4;

  3. Cobre – O juízo divino sobre toda imundícia e impureza da vida natural pecaminosa, EZ 24.11;

  4. Azul – Vida celestial que nos reveste de honra da parte de Deus. Ester 8.15;

  5. Púrpura – Vida de renúncia e de dor contra o pecado J0 19.2-5;

  6. Carmesim – combatendo veemente contra o pecado que assola a alma, Jr 4.30;

  7. Linho fino – Confirmação da nossa justificação em Cristo Jesus Ap. 19.8;

  8. Peles de cabras – Vida pronta para ser entregue na obra de Deus, HB 11.37;

  9. Peles de carneiros – Vida revestida do poder e a dinâmica do Espírito Santo para saltar muralhas, romper obstáculos, derrubar barreiras, SL 114.4;

  10. Tintas de vermelho – A obra da salvação escrita nos corações arrependido através do Espírito Santo II Co 3.3;

  11. Peles de texugos – Revestimentos da simplicidade em Cristo. Texugo é um animal com 75 cm de tamanho e cava as tocas mais profundas. Precisamos do revestimento espiritual através da palavra de Deus, para que tenhamos uma fé aprofundada no coração de Deus, para que a revelação divina seja estendida às profundezas dos corações assolados, essa revelação é Jesus Cristo o salvador da Humanidade. RM 13.14; EF 3.17-19;

  12. Madeiras de Cetim – apesar das fraquezas deste corpo carnal fomos revestidos da vida espiritual e sobrenatural, para frutificarmos para Deus.EX. esta árvore produz a goma arábica, é resistente aos insetos, cor bonita; nós os pentecostais resistimos os demônios, uma cor bem definida pelo sol da Justiça, é só observar ta tudo rosadinho e nutrido pela Sã doutrina. CL 3.12; EF 6.11; LC 24.49;

  13. Azeite – O batismo com o Espírito Santo que acende a lâmpada que é nossa alma confirmando-nos como ungidos de Deus PR 20.27; SL 132.16,17;

  14. Pedras Sardônicas – doutrinas que confirmam a nossa aparência com o Senhor Jesus Cristo, fundamentados em sua palavra, nos leva a transcender espiritualmente manifestando assim a imagem de Deus aos homens. AP. 4.3; 21.19,20.


O tabernáculo de Deus foi construído e colocado por Deus no coração das tribos, isto significa que o templo deve estar no coração das famílias, no centro de sua adoração ao Senhor. Também precisamos compreender que os templos, vão ser construídos nos bairros residenciais e não comerciais, a vida de adoração ao criador tem sentido tão somente espiritual e não comercial, o evangelho é boas novas de salvação a todo homem perdido.


Comentarios


bottom of page