top of page
  • Foto do escritorMidia AD Anápolis

A BASE DA NOSSA ESPERANÇA

A perspectiva da salvação transcende a existência humana e o período da vida física. Em esperança somos salvos.

Porque tudo o que dantes foi escrito, para nosso ensino foi escrito, para que pela paciência e consolação das Escrituras tenhamos esperança.

ROMANOS 15.4



Um dos salmos mais conhecidos na Bíblia expressa esperança. “Esperei com paciência no Senhor, Ele se inclinou para mim e ouviu o meu clamor” (Sl 40.1). Nossa esperança, portanto, está fundamentada na Palavra de Deus – a Bíblia Sagrada, que nos revela todas as Suas promessas e as promessas de Deus são alguns dos motivos que nos mantêm de pé, pois não falham. “Ó minha alma, espera em Deus, porque Dele vem a minha ESPERANÇA” (Sl 62.5).

Para um cristão, ter esperança é saber que, apesar das dificuldades que o cristão enfrenta nesta vida, o melhor ainda está por vir.

1. O QUE SIGNIFICA ESPERANÇA?

“ESPERANÇA é o substantivo feminino que indica o ato de esperar alguma coisa, pode ser também um sinônimo de confiança”. A palavra “esperança” tem sua origem no latim e é derivada de SPES, que tem o significado de “confiança em algo positivo”. Esta palavra latina também deu origem ao verbo SPERARE, que veio dar origem ao nosso “esperar e, em latim, significava “ter esperança”.


a) Ter esperança é acreditar que alguma coisa muito desejada vai acontecer. A esperança pode ser fundamentada (realística) ou baseada em alguma utopia, algo que dificilmente será alcançado. Em uma perspectiva geral, a definição mais simples que podemos encontrar para esperança é o ato de esperar o que se deseja. Notamos, a partir daqui, que se trata de um conceito dinâmico, algo de caráter propulsor. Esta palavra está relacionada com expectativa ou, também, com fé. Isso traz consigo a conjugação de um importante verbo, característico dela mesma: esperar. Sua definição significa ter esperança, ficar ou estar à espera, supor, presumir, aguardar, ter fé, confiar, estar na expectativa.


b) Esperança e expectativa. Em sentido figurado, a palavra esperança pode dizer respeito a alguma pessoa na qual é colocada um elevado grau de expectativa. Exemplo: A minha filha é muito inteligente. Vou investir na sua formação; pois, como eu não tive a oportunidade de estudar, ela é a minha esperança de um futuro melhor para nós.


c) A subjetividade da esperança. Na filosofia moderna, por estar centrada na exploração da subjetividade, o tema da esperança não desperta tanto interesse, sendo lançado, geralmente, para as reflexões relacionadas às paixões, emoções e desejos pessoais e temporários.


2. A ESPERANÇA NA BÍBLIA

De acordo com a Bíblia, a esperança é uma das três virtudes teologais, conforme é possível comprovar em 1 Coríntios 13.13: "Assim, permanecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor. O maior deles, porém, é o amor."


a) Esperança e fé. A esperança está também relacionada com a fé, de acordo com Hebreus 11.1: "Ora, a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos."


b) A esperança que Deus dá. Em Jeremias 29.11, podemos ver que Deus quer que o Seu povo tenha esperança: "Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês', diz o Senhor, planos de fazê-los prosperar e não de causar dano, planos de dar a vocês esperança e um futuro."


c) A certeza da esperança. Para um cristão, ter esperança é saber que, apesar das dificuldades que o cristão enfrenta nesta vida, o melhor ainda está por vir. Isso está bem retratado na carta aos Hebreus, que registra a galeria dos heróis da fé. “Porque esperava a cidade que tem fundamentos, da qual o artífice e construtor é Deus”. (Hb 11.10)


3. NOSSA ESPERANÇA É ATEMPORAL

O ditado popular diz: “a esperança é a última que morre”. Com a “morte” da esperança morrem também os sonhos, projetos e todas as expectativas da vida.


a) Esperança que transcende a vida. Para Jó, a esperança dos justos não termina com o fim da vida física. Ela vai além da sepultura. “Onde, pois, estaria agora a minha esperança? Sim, a minha esperança, quem a poderá ver? As barras da sepultura descerão quando juntamente no pó teremos descanso. (Jó 17.15,16). Pois ele mesmo expressou: “Eu sei que meu redentor vive...” (Jó 19.25,26). O salmista corrobora com essa verdade. “Tenho posto o Senhor continuamente diante de mim; por isso que ele está à minha mão direita, nunca vacilarei. Portanto está alegre o meu coração e se regozija a minha glória; também a minha carne repousará segura. Pois não deixarás a minha alma no inferno, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção” (Sl 16. 8-10).


b) Esperança no futuro. O Apóstolo Paulo disse: “se esperarmos em Cristo somente nesta vida, somos os mais miseráveis de todos” (1 Co 15. 19). Desta forma, ao procurar dar razões dessa sua esperança no futuro, o ser humano descobre que ele não é apenas passado e presente, mas, como atesta Leonardo Boff: “Ela é principalmente futuro. É projeto, prospecção, distensão para o amanhã”. Isto tudo, dentro de uma perspectiva cristã, não se consegue por si só, mas por fruto e obra da graça, capaz de envolver a pessoa inteira. Sobre esta relação humano-divina, Mário A. Sanches confirma: “o ser humano sente que conhece e é conhecido pelo Absoluto, sente que envolve e é envolvido pelo Transcendente, sente, enfim, que é parte consciente dessa realidade Transcendente e Absoluta e, portanto, Eterna”.


c) Esperança da salvação. A perspectiva da salvação transcende a existência humana e o período da vida física. “[...] Em esperança somos salvos [...]” (Rm 8.24,25).


CONCLUSÃO

O profeta Jeremias, no momento do caos da nação de Israel exclama, certamente com lágrimas nos olhos. “Quero trazer à memória o que me pode dar esperança. Disso me recordarei no meu coração; por isso, tenho esperança. A minha porção é o SENHOR, diz a minha alma; portanto, esperarei Nele. Bom é ter esperança e aguardar em silêncio a salvação do SENHOR. Ponha a boca no pó; talvez assim haja esperança” (Lm 3. 21,24,26,29). A Bíblia fala de Abraão: “O qual, em esperança, creu contra a esperança, tanto que ele tornou-se pai de muitas nações, conforme o que lhe fora dito: Assim será a tua descendência. E não enfraquecendo na fé, não atentou para o seu próprio corpo já amortecido, pois era já de quase cem anos, nem tampouco para o amortecimento do ventre de Sara. E não duvidou da promessa de Deus por incredulidade, mas foi fortificado na fé, dando glória a Deus.

bottom of page