top of page
  • Foto do escritorMidia AD Anápolis

FLORESCENDO E DANDO FRUTOS

Que cada ministro chamado por Deus, floresça, crie renovos, flores e dê muitos frutos.

Então falou o SENHOR a Moisés, dizendo: Fala aos filhos de Israel, e toma deles uma vara para cada casa paterna de todos os seus príncipes, segundo as casas de seus pais, doze varas; e escreverás o nome de cada um sobre a sua vara. Porém o nome de Arão escreverás sobre a vara de Levi; porque cada cabeça da casa de seus pais terá uma vara. E as porás na tenda da congregação, perante o testemunho, onde eu virei a vós. E será que a vara do homem que eu tiver escolhido florescerá; assim farei cessar as murmurações dos filhos de Israel contra mim, com que murmuram contra vós. Falou, pois, Moisés aos filhos de Israel; e todos os seus príncipes deram-lhe cada um uma vara, para cada príncipe uma vara, segundo as casas de seus pais, doze varas; e a vara de Arão estava entre as deles. E Moisés pôs estas varas perante o Senhor na tenda do testemunho. Sucedeu, pois, que no dia seguinte Moisés entrou na tenda do testemunho, e eis que a vara de Arão, pela casa de Levi, florescia; porque produzira flores e brotara renovos e dera amêndoas. Então Moisés tirou todas as varas de diante do Senhor a todos os filhos de Israel; e eles o viram, e tomaram cada um a sua vara. Então o Senhor disse a Moisés: Torna a pôr a vara de Arão perante o testemunho, para que se guarde por sinal para os filhos rebeldes; assim farás acabar as suas murmurações contra mim, e não morrerão.

NÚMEROS 17-1-10


INTRODUÇÃO

Moisés é o homem pelo qual Deus proveu a saída de seu povo da nação opressora, o Egito. Sabemos muito bem a história de Moisés, ambiente em que nasceu, onde cresceu, e como foi educado, preparado para ser, se possível o futuro FARAÓ. Com 40 anos de idade, ilustre príncipe, resolve fazer justiça a seu povo, circunstancialmente, foi necessário deixar todas as prerrogativas futuras desta nação e fugir da ira de Faraó, indo refugiar em Midiã, foi neste lugar que conheceu o sacerdote Jetro, (descendente de Abrão com a sua segunda esposa Quetura) e casou-se com uma de suas filhas, a Zípora, e passando a servir seu sogro no apascentamento de ovelhas. Aos 80 anos de idade, Deus lhe apareceu e o chamou para ser o guia, o líder, para conduzir o povo de Israel do Egito ao lar de seus ancestrais, como havia prometido. Moisés se apequenou diante do Senhor, mostrando-lhe suas insuficiências, não podendo revogar a vontade divina assume a missão deixando o rebanho com o seu sogro e com Arão seu irmão mais velho, volta ao Egito e neste tempo todos os perseguidores já haviam morrido e sob o trono estava o novo Faraó Ramsés II, que nós chamamos de FARAÓ DO ÊXODO, isto ocorreu possivelmente no ano de 1.447 a.C.

Após uma dura batalha, Moisés sob a vanguarda divina vence e derrota a soberania de Faraó e de seus sábios e encantadores, deixando o Egito a maior potência de seu tempo, totalmente devastado, de luto, sem exército organizado, sem uso das armas. Foi Deus o Senhor que fez todas estas coisas por intermédio de Moisés, e por isso podemos dizer: Se Deus é por nós, quem será contra nós? (Rm 8.31); Posso todas as coisas Naquele que me fortalece. (Fp 4.13).

Moisés sai vitorioso com a nação de Israel, as famílias foram recompensadas com ouro, prata, cobre, pedras preciosas e roupas, calçados etc. Saíra apressadamente, passaram pelo mar Vermelho com pés enxuto e do outro lado contaram o hino da vitória, enquanto presenciavam o exército egípcio sucumbir. Vamos estudar a liderança de Moisés e parte de suas aflições no período em percurso que guiava o povo rumo a Canaã.


1. A CHAMADA DE MOISÉS

Deus chama e determina a Moisés: Desce ao Egito e tira de lá o meu povo - Moisés estava em Midiã, distante do Egito aproximadamente 450km e quarenta anos se passaram, agora ele estava com 80 anos de idade, casado com uma midianita chamada Zípora, pai de dois filhos, apascentando o rebanho de seu sogro Jetro.

Moisés tinha passado tempo suficiente para esquecer de tudo no Egito e até mesmo os trâmites palacianos, com outros pensamentos e propósitos, num certo dia como de costume leva o rebanho ao outro lado do deserto nas proximidades do Monte Horebe, e foi surpreendido por uma sarça ardente e que não se consumia.

a) A sarça ardente Êxodo 3. Ao contemplar aquele fenômeno, o fogo aceso com labaredas, mais a sarça resistia ao fogo e não se consumia, Moisés ficou impressionado e aproximou para verificar de perto, foi neste momento que o Anjo do Senhor lhe falou de dentro do fogo: Moisés, Moisés, e ele disse: Eis me aqui Senhor. Disse o Anjo do Senhor: tira as sandálias dos teus pés, porque o lugar que tu estás é terra santa.

b) Deus disse a Moisés. O meu povo está oprimido no Egito e seu clamou chegou até a mim – Deus conta para Moisés como os israelitas estava sofrendo no Egito e como planejou libertá-los e Deus disse: escolhi você Moisés, para me servir nesta honrosa tarefa, ser o líder, o guia, o governador do meu povo, conduzindo-os a terra que dei aos seus pais: Abrão, Isaque, Jacó e sua descendência.

c) Moisés desculpa não estar preparado para esta missão. Moisés não conseguindo convencer o Senhor, deixa de lado a sua própria vontade, seus sonhos e se coloca sob o senhorio de Deus. Volta do campo e sua mente era um turbilhão de pensamentos, como desvencilhar de tudo e colocar a serviço do seu Senhor. Faz uma reunião com a família, com o sogro e depois de tudo esclarecido, Moisés desce ao Egito com a vara que Deus lhe dera, e vai com ele o seu irmão Arão.


2. MOISÉS RETORNA AO EGITO

Com a chegada de Moisés no Egito, tudo muda radicalmente. Ele chega, se reúne com os príncipes do povo hebreu e explica tudo, e como Deus lhe incumbiu desta tão sublime tarefa. A princípio o povo se alegra com a esperança e o fim da opressão, de igual modo Moisés se apresenta a Faraó e o faz saber de sua missão, e pede ao Monarca a liberação imediata do povo para ir servir ao Senhor no Monte Horebe. Faraó não se curva e alega desconhecer o Deus de Moisés, e chama seus exatores e duplica a carga de trabalho ao povo hebreu, desta forma, o povo gemeu e perdeu toda esperança, e ainda mais, com a chegada de Moisés o sofrimento e o trabalho aumentou sobremaneira.

a) Moisés resiste a Faraó e inicia as maravilhas de Deus no Egito. Moisés se apresenta ao Faraó, provavelmente Ramsés II, e disse: Fui enviado pelo Eu Sou o que Sou, o Deus dos hebreus, a liderar o seu povo até o Monte Horebe e lá eles me servirão. Faraó, pergunta: Que é o seu Deus? Desconheço-o, acontece que os hebreus estão muito cômodos aqui no Egito, mandarei aumentar a tarefa de todos, eles estão ociosos. Os exatores oprimiram e exigiram desumanamente as tarefas de cada hebreu, exigindo a mesma produção, sendo obrigados a buscar a palha.

b) Moisés lança a sua vara perante Faraó e ela vira uma serpente. Moisés por uma direção de Deus lança a vara perante Faraó, ela se transforma numa serpente, os magos e encantadores de Faraó, lançam também suas varas e elas se tornam também em serpentes, porém, algo acontece: A vara de Moisés transformada em serpente, come, engole, todas as demais serpentes. Os magos e encantadores do Egito sofreram a primeira derrota, ficaram sem as varas do encantamento.

c) Moisés estende a mão e pega a vara. Com esta vara Moisés feriu o Egito com nove pragas, em todas áreas: Economia, da arquitetura, religiosa, do exército, das necessidades básicas e por fim, a morte do primogênito em cada família, esta última foi um juízo vindo diretamente do céu, o anjo da MORTE cumpria esta missão. No Egito foi poupada o primogênito, o pai matou o cordeiro para comer com a família e aspergiu o sangue na ombreira e nas vergas das portas de suas casas. Á meia noite, o Anjo da Morte, matou todos os primogênitos, o choro das famílias egípcias, o desespero do Monarca e a pressão de seus assessores, Faraó, autoriza Moisés a sair imediatamente com o povo, e em 1.447 antes de Cristo, o povo hebreu sai vitorioso das cidades egípcias sob comando de Moisés, com destino à terra de seus pais, estava completando 430 anos desde a descida de Jacó ao Egito no tempo de que José era o seu governador.

d) Da euforia à provação. Saíram vitoriosos, receberam ouro, prata, bronze, pedras preciosas, roupas, calçados, e saíram também um misto de gente com o povo escolhido. Caminharam e chegaram em frente ao mar vermelho, foi neste momento, que o Egito sepulta seus mortos e resolver recapturar o povo hebreu enviando o exército para fazê-los voltar. O povo clama e reclama pela primeira vez do seu líder, Moisés ora, estende a vara e o mar abre e o povo passa de pés enxuto, do outro lado canta o hino da vitória. O exército de Faraó entra pelo mesmo caminho e ele fecha matando a todos, homens e animais e no outro dia as praias do mar estava repleto de soldados mortos e suas armas.


3. MOISÉS E SUA LIDERANÇA

O líder tem seus momentos de glórias e de aflições. Moisés é um líder que podemos puxar para nossa liderança seu exemplo em como lidar com os enfrentamentos. Moisés extremamente dedicado e submetia toda carga aos seus ombros, aconselhado, repartiu a carga com 70 homens capazes e de boa reputação e foi um alívio em suas tensões. Porém, em muitas situações, só o líder para resolver: Adoçar águas amargas; comer carne com abundancia no deserto; beber água que saia da rocha e por fim Deus envia o MANÁ para alimentá-los durante todo período da viagem. Ao chegar em Horebe, Deus chama Moisés, retira a estigma de escravos do seu povo e os constituem como uma Nação, dando-lhes a LEI, normas, regras, e orienta a construção do TABERNÁCULO e constituem o sacerdócio o grão sacrificador, encarregando dessa nobre tarefa da tribo de Levi, a Arão e seus filhos. Ex 28.1-11.

a) Moisés enfrenta contradições de outras lideranças – Toda e qualquer liderança tem momentos de alegria e momentos de aflições. Moisés enfrentou contendas por Arão e Miriã, pelo motivo do casamento com a mulher cusita, Números 12.1-3, dizendo: Deus só fala por intermédio de Moisés? Não falou também por nós? Deus puniu Miriã com a lepra e a nuvem não partiu dali até que passasse 07 dias em que Miriã estava fora do arraial leprosa.

b) Novas contendas e questionamentos sob a liderança de Moisés – No capítulo 16 de Números inicia uma rebelião de Corá, Datã e Abirão, homens ilustres e líderes respeitados, conseguiu reunir 250 líderes de tribos e de famílias e congregaram-se contra Moisés e disseram: Moisés, a congregação de Israel não aguenta mais a sua imposição de liderar Israel, não bastasse, coloca o seu irmão Arão como sumo pontífice, que isso? Aqui tem tantos homens preparados e homens santos como você e seu irmão. Não dá mais para continuar assim, queremos o reconhecimento e a divisão de honrarias e o exercício do poder. Moisés experiente, caiu sobre o seu rosto e adiou a reunião para o dia seguinte, dizendo: Amanhã Corá, você e toda a sua congregação deitai incenso perante o Senhor, e será que o homem a quem o Senhor escolher, este será santo. Filhos de Levi é pouco o que Deus tem honrado a vocês e querem também o sacerdócio? Os descontentes querem o poder de forma absoluta. Lúcifer foi um ser descontente.

c) Moisés manda chamar o trio e eles disseram não subiremos – Você chega no Egito prometendo para nós uma terra que mana leite e mel, e até agora, nem nos destes campos, vinhas em heranças e querem arrancar os nossos olhos? Não subiremos. Moisés fica irado e diz ao Senhor, nunca tirei deles um jumento se quer e nem mal fiz a eles. Moisés adia novamente a reunião, amanhã, tragam 250 incensários e tu também Arão. Os revoltosos chegaram a porta da Tenda da Congregação, e nesse movimento de revoltas e calúnias e acusações, Moisés disse ao povo: Saiam do meio desta congregação para que não pereçais com os seus pecados e acabando de falar a terra abriu e desceu ao abismo toda congregação com os seus pertences.

d) O povo reclama a Moisés, dizendo: Você e Arão matou o povo do Senhor para permanecer na liderança nacional e a liderança espiritual. Deus enviou uma praga e morreram 14.700, se não fosse a intercessão de Moisés e Arão teriam um triste fim. Por esta razão Moisés disse aos maiorais do povo, dizendo: Cada um de vós traga uma vara representando cada tribo e Arão traga a sua vara representando a tribo de Levi, vamos colocar na Tenda do Testemunho e no outro dia estarei buscando estas varas, a vara que florescer será o homem que Deus chamou para o sacerdócio. No outro dia Moisés entrou na Tenda do Testemunho e a vara de Arão havia florescido, brotara renovos e dera amêndoas. Moisés entregou a vara de cada um e nunca mais houve contendas, murmurações pela liderança do sacerdócio.


CONCLUSÃO

Ministros de Deus, a busca por ser a liderança principal é muito concorrida. Isso iniciou-se com Lúcifer nos tempos idos da eternidade; nos dias de Moisés, ele sofreu muitas agitações de homens que compraram o coração do povo, desprestigiando os líderes maiores: Moisés e Arão. Com Jesus não foi diferente, sofreu a morte mais cruenta do seu tempo. Não podemos deixar de falar também do Apóstolo João, que disse, em sua 3ª carta no versículo 9: “Diótrefes quer o primado na Igreja e não nos recebe. Que cada ministro chamado por Deus, floresça, crie renovos, flores e dê muitos frutos.

bottom of page