top of page
  • Foto do escritorMidia AD Anápolis

AME SEM MEDO DE AMAR


Bravo não é quem não sente medo, é quem o vence.

Nelson Mandela


Essa frase acima me faz lembrar um verso bíblico:

I João 4:18: No amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor tem consigo a pena, e o que teme não é perfeito em amor.


Tenho pensado sobre o mandamento de amar, e refletido em um princípio que ensinei recentemente em uma mensagem: “O resumo de toda lei é que não há opção para não amar a quem quer que seja”. O amor nunca foi e nunca será uma questão opcional para o cristão. Somos escravos do amor. O testemunho dos cristãos do primeiro século era justamente esse: “vejam, como eles se amam”. Em uma Roma, com uma estrutura social marcantemente escravagista, os cristãos se notabilizavam pela assistência aos menos favorecidos, e preste atenção: independente deles serem ou não cristãos!


O amor não pode ser uma moeda de troca, e nem muito menos uma “estratégia evangelística”. Não podemos amar as pessoas a fim de ganharmos a sua atenção, e fazermos delas nossos “alvos evangelísticos”. Isso é desprezível. Temos de amar as pessoas pelo simples fato delas serem pessoas!


Devemos amar aos não amáveis! E isso me faz lembrar, de um filme que assisti recentemente, sobre a vida do ativista pelos direitos humanos, Gandhi. Numa cena do filme ele aparece lendo a Bíblia, e é injustamente expulso da composição do trem que estava por não aceitar sair da “primeira classe”! E eram cristãos os que o expulsaram a “ponta pés”!


O jornalista Phillip Yansey diz em um dos seus livros que ele estranhava em sua infância o fato de sua igreja (Batista) enviar ofertas aos missionários que atuavam na África, mas os negros não podiam participar dos cultos de sua igreja nos Estados Unidos! Isso é amor? Claro que não.


Amor não é o que o amor diz, é o que o amor faz! Vencer o medo de amar a quem quer que seja é o nosso principal desafio na vida. E na família temos um laboratório incrível de tons e sobretons dos mais diversos, tudo convergindo para a necessidade de amarmos aqueles que nos fazem o mal constantemente. Não abra mão dessa verdade em sua vida: o amor liberta, e segundo a Bíblia: “cobre uma multidão de pecados”, I Pedro 4.8.

bottom of page